por Andressa Griffante

Neste mercado de Influência Digital tão dinâmico e de crescimento cada vez mais rápido, percebo que muitas vezes algumas etapas importantes ficam perdidas no processo. Como é o caso de nanoinfluenciadores – aqueles que geralmente possuem entre 3 e 10 mil seguidores – em busca de sua primeira #publi e que nem bem conseguem responder o básico sobre os interesses de sua audiência ou definir seu segmento de atuação. 

Esses dias solicitei a um grande influenciador – com mais de 100 mil seguidores no Instagram e reconhecimento da mídia nacional – seu mídia kit. E qual foi o tamanho da minha surpresa ao saber que ele nunca tinha feito um e nem sabia por onde começar?

Em tese não existe problema em fechar campanhas sem ter um mídia kit ou sem conhecer melhor o perfil de seu público-alvo. Mas ao fazer isso, influenciadores ignoram informações importantes que farão diferença para seu desenvolvimento neste negócio. Ao saber o que sua comunidade busca e quais assuntos obtém mais engajamento as parcerias se tornam mais duradouras, pois dão resultado. E, consequentemente, o criador de conteúdo está mais confiante de seu trabalho, atrai mais patrocínios e se valoriza cada vez mais. 

Agora saindo da perspectiva do influenciador, me admira que algumas marcas e agências ainda estejam contratando sem solicitar um material mais profissional de apresentação (e ainda assim depois reclamem da falta de profissionalização dos influenciadores).

Pensando nisso elenquei alguns tópicos para criadores de conteúdo online terem em mente ANTES de fechar em sua primeira publi:

1 – Tenha bem definido seu nicho e/ou subnicho
Ninguém consegue criar autoridade em diversos assuntos ao mesmo tempo, por isso é importante conhecer seu nicho de atuação e dentro dele, o subnicho em que você mais se identifica. Busque aquele assunto que mais chama atenção da sua audiência. Aquilo em que você pode ser considerado referência. As marcas preferem especialistas muito mais do que generalistas. Além disso, entender seus pontos fortes e onde ocorre melhor sua conexão com o público demonstra seu nível de maturidade e credibilidade.

Ex.: Seu nicho pode ser moda, e o subnicho moda street style. Atuar no nicho de decoração com subnicho DIY. Abordar conteúdos de viagem e gastronomia, mas como definir como subnicho trilhas e ecoturismo, ou então destinos para viajar com crianças.

2. Conhecer seu público e as formas de engajá-lo

As marcas e agências esperam que o influenciador tenha proximidade com seu público e conheça a melhor maneira de engajá-lo. É importante monitorar e entender o formato de conteúdo que melhor performa, seus melhores horários para publicação, principais plataformas e as legendas que mais chamam atenção. Muitas vezes, um bom caminho é utilizar enquetes e caixinhas de pergunta para saber diretamente com o público o que eles preferem.

Ex.: Reconhecer que seu público pode ser mais interessado em textos e fotos no blog do que em Reels no Instagram; ou saber que seu público consome muito mais seus vídeos no TikTok do que no Instagram ou YouTube. Saber os dias e horários em que sua audiência está mais conectada, as palavras e emojis que mais chamam atenção em uma legenda, e as ferramentas de interação (enquetes? perguntas?) que seus seguidores parecem curtir mais…

3. Tenha seu material de apresentação, como o mídia kit

Mostre de uma maneira prática e visualmente atrativa quem é você, quais seus objetivos com seu conteúdo, os dados sobre seu público e sua audiência. Para isso serve o tão famoso Mídia Kit. Além de objetivo, este material deve conter as informações mais relevantes sobre você e seu trabalho, demonstrar sua autoridade no nicho de atuação, seu profissionalismo e, acima de tudo, deve apontar o motivo pelo qual uma marca deveria investir em seu conteúdo.

Ex.: não existe formato certo para apresentar um mídia kit. Ele pode ser uma página no blog, um pdf com mais de um slide ou apenas uma imagem em jpg com suas informações principais, desde que contenha os dados que a marca busca saber, sem erros de português (!) e com visual bacana. Se possível, entregue para alguém que faça uma revisão gramatical e um designer que possa criar uma identidade visual alinhada ao seu conteúdo.

4. Mapear possíveis marcas que tenham fit com você e seu público

Se coloque à disposição para ações comerciais, mas tenha em mente quais marcas estariam mais alinhadas com seu perfil, seu segmento de atuação e seu público. Não espere apenas que elas te descubram, mas ativamente proponha parcerias. Conhecendo bem seu mercado e estudando um pouco sobre as marcas de interesse fica mais fácil obter atenção do outro lado da linha. Além disso, a melhor forma de entender o que uma empresa valoriza no seu trabalho é conversando com empresários, apresentando seu trabalho, e coletando feedbacks!

Ex.: você pode começar fazendo uma lista de empresas que se interessariam em divulgar seus serviços e produtos ao seu público. Já vai buscando telefone, e-mail do responsável do marketing pra enviar seu mídia kit bonitão 🙂